Por favor, antes de prosseguir, preencha os campos marcados corretamente!
Por favor, antes de prosseguir, preencha os campos marcados corretamente!

BLOG

Quer ficar atualizado sobre o mundo jurídico?
Deixe seu contato aqui

Por favor, antes de prosseguir, preencha os campos marcados corretamente!
Cadastro realizado com sucesso!
30 de março de 2016

Qual caminho seguir, advocacia boutique ou de massa?

Dentre as várias decisões a se tomar em relação a sua atuação e carreira, importantíssimo é definir se você irá atuar no formato boutique, de massa, ou até uma combinação dos dois.

Se você pesquisar, irá encontrar defensores para cada lado e poderá ver que, mesmo em épocas de crise como a atual, não faltam oportunidades para nenhuma destas práticas. No fim, deve se tratar principalmente de sua personalidade e preferência pessoal, sobre a forma como você prefere trabalhar e como você se organiza financeiramente.

Cada prática tem suas particularidades, com seus prós e contras, entenda:

Escritório boutique

O escritório boutique não necessariamente é um escritório pequeno. O que o caracteriza é o alto grau de especialização, conhecimento técnico e o foco no relacionamento com o cliente. São escritórios que buscam os “peixes grandes”: lidam com casos complexos, que demandam bastante tempo e pesquisa, mas também geram honorários mais altos.

Prós: Casos incomuns e/ou interessantes que atiçam os apaixonados por pesquisa e argumentação, alta rentabilidade, custos menores, poucos processos e clientes sendo gerenciados ao mesmo tempo e relacionamento próximo e forte com cada cliente.

Contras: Riscos financeiros (um ou dois clientes inadimplentes podem causar um verdadeiro transtorno nas suas contas), perder casos grandes e complexos podem levar a processos de negligência profissional, dificuldade de conquistar clientes “peixe grande”, especialmente para advogados jovens e com pouca experiência.

Advocacia de massa

A advocacia de massa lida com casos simples e semelhantes entre si, sendo bastante comum nas áreas Trabalhista e do Consumidor. O volume de processos é grande, então não há muito atendimento personalizado e o trabalho é, muitas vezes, padronizado, gastando-se pouco tempo com cada processo.

Prós: Risco menor e mais distribuído de processos de negligência profissional, menor dependência e risco financeiro decorrente de apenas um cliente inadimplente, maior visibilidade do escritório perante o judiciário e a comunidade, demanda abundante nessas áreas e a possibilidade de ajudar mais pessoas.

Contras: Maior risco de erros ou perda de prazos quando se lida com muitos processos ao mesmo tempo, pouco contato com clientes e necessidade de mais colaboradores para atendê-los, honorários baixos e dificuldade de manter o nível de qualificação profissional e motivação do alto número de colaboradores.

Claro que também não é necessário que você seja 8 ou 80, se não quiser afunilar demais suas oportunidades entre estes dois nichos, é só mesclar as duas práticas. O mais importante é que você tenha um posicionamento definido e claro em todo o escritório e diante dos clientes, de forma que todos entendam como funciona e se estrutura seu escritório. E, claro, não se esqueça da importância de possuir um sistema de excelência para o gerenciamento completo de todos seus processos, prazos, clientes e documentos.

CompartilheShare on FacebookGoogle+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail to someone

por Ultimatum