...

Gestão de pessoas na advocacia: o que você precisa fazer para alcançar bons resultados!

A definição de Gestão de pessoas diz respeito às estratégias que tem o objetivo de administrar os relacionamentos internos, reconhecer e desenvolver o capital humano da organização, gerando resultados positivos para todos os envolvidos.

Tem uma frase de Stephen R. Covey que diz: “Sempre trate os seus empregados exatamente como você gostaria que eles tratassem os seus melhores clientes.” – Acredite, essa é uma grande verdade!!!! O que eles recebem e aprendem será o reflexo do que eles transmitirão!!

O mundo corporativo vem sofrendo diversas transformações com os avanços tecnológicos que vem ocorrendo, as mudanças no meio jurídico tornam as operações e o andamento de um escritório de advocacia muito mais eficientes. E essa é uma é uma realidade constante que tende a evoluir cada vez mais.

Mas com tanta tecnologia disponível, por que ainda investir no desenvolvimento de pessoas?

A tecnologia hoje necessária no âmbito jurídico, veio para aprimorar a qualidade do trabalho e alavancar os resultados, propiciando mais economia de tempo e dinheiro, entretanto, acreditem, não substituirá a mão de obra humana. Uma coisa é fato: uma empresa é feita de pessoas para pessoas, por este motivo, não há como não investir no capital humano e isso é fundamental para garantir o sucesso do seu negócio!

O seu maior cliente é seu colaborador. Já ouviu falar sobre o cliente interno e o cliente externo? Aí está a explicação: um colaborador insatisfeito refletirá em seus clientes externos.

Sendo assim, a gestão de pessoas se tornou um grande diferencial dos escritórios de advocacia, já que elas garantem a evolução do mesmo, sendo o caminho mais garantido para o sucesso.

Colaboradores satisfeitos e motivados desempenham muito melhor sua função, se tornam muito mais criativos e comprometidos com os objetivos e resultados da empresa.

Mas afinal, como aplicar a gestão de pessoas no escritório de advocacia?

Muitos ainda não veem ou entendem o escritório de advocacia como uma empresa. Possuem ainda aquela visão tradicional, entretanto, hoje a maioria deles se tornou um grande negócio, com inúmeros funcionários e muita tecnologia. Por este motivo, é fundamental gerir todos os envolvidos, conhecendo, desenvolvendo e motivando para que o resultado final seja muito mais simples e satisfatório.

A gestão de pessoas envolve várias etapas, desde o processo de recrutamento e seleção, definição de funções, cargos e salários, treinamento, orientação, integração, comunicação, avaliação e feedbacks constantes, administração de conflitos até o desligamento do colaborador, quando houver.

Um papel fundamental nesse processo é o do gestor, que é responsável pelo “exemplo”, uma vez que possui um papel de influenciador direto com seus liderados. O líder precisa mostrar uma conduta exemplar, com grande impacto sobre subordinados.

Nos dias atuais não temos mais aquela figura de um líder que apenas delega tarefas e só cobra os resultados. Hoje em dia o desafio de um líder é estimular os colaboradores no desenvolvimento de suas tarefas e responsabilidades, garantindo o atingimento de metas e objetivos da empresa. O líder garante a construção de uma cultura corporativa norteada pelos valores do escritório de advocacia.

Sendo assim o líder antes de mais nada, precisa conhecer seus liderados, saber identificar os pontos fortes e os fracos de cada um, respeitando é claro, suas particularidades. O grande desafio de um líder está no desenvolvimento de habilidades, em incentivar, estimular e inspirar cada um de seus colaboradores, nivelando todos com os objetivos e metas a serem alcançados na empresa.

Para alcançar todos esses objetivos, aliar o uso das ferramentas de apoio como os softwares de gestão para auxiliar neste processo é muito importante, visto que através das informações armazenadas nele, é possível conhecer muito mais facilmente o perfil de cada colaborador e assim, realizar uma avaliação de desempenho mais detalhada, gerando a partir daí feedbacks mais coerentes e ações mais assertivas para cada situação.

É claro que os softwares jurídicos não realizam o trabalho sozinho, ele não trará por si só todos os dados necessários para essa avaliação. O líder precisa utilizar de outros meios em conjunto com eles, como acompanhamento do relacionamento interno, o envolvimento com as metas e objetivos propostos, a responsabilidade, as competências técnicas e comportamentais, a motivação, a credibilidade, a disponibilidade, entre outros.

Um outro aspecto em que a gestão de pessoas atinge crucialmente, é a redução da rotatividade de colaboradores e consequentemente diminui os prejuízos no que diz respeito ao investimento feito no colaborador, ao tempo gasto e é claro, auxilia na manutenção da carteira de clientes, visto que, a advocacia é uma profissão onde o fator pessoalidade conta bastante, e frequentemente, se vê casos em que o advogado sai do escritório e leva junto seus clientes, gerando uma baixa significativa no resultado do negócio.

Na advocacia geralmente antes do cliente escolher o escritório, ele escolhe o advogado. Por este motivo a maioria dos profissionais e gestores do escritório já perceberam que uma equipe de profissionais estável, forte e engajada é o grande segredo para o sucesso e a lucratividade. Caso o seu escritório ainda não tenha esse planejamento de gestão de pessoas, avalie a possibilidade de implementa-lo, pois mais cedo ou mais tarde isso será necessário para sua estabilidade e evolução no mercado jurídico.

Leia abaixo algumas dicas que podem ajuda-lo neste processo:

1. Processo seletivo

O primeiro passo é a escolha do profissional que fará parte do seu negócio. É fundamental apostar em um processo seletivo eficaz. Frequentemente os escritórios contratam profissionais somente analisando os currículos e realizando entrevistas. Entretanto, hoje em dia é preciso mais que isso: analisar o perfil e as características subjetivas, que mostram a capacidade de gerar resultados para o escritório é fundamental.

A maioria dos escritórios não contam com um departamento específico de RH, sendo assim, nestes casos vale a pena investir na contratação de empresas ou profissionais especializados, terceirizados, que realizam essa seleção de talentos.

2. Workflow

É fundamental cada colaborador saber exatamente quais são suas tarefas e responsabilidades. Isso garante uma maior produtividade, além de promover o melhor engajamento entre os envolvidos. Ter tarefas previamente definidas e um workflow estruturado é fundamental para que a equipe gere os melhores resultados para o seu escritório de advocacia.

Se essa é uma atividade que ainda não foi implementada no seu escritório e consequentemente as atividades se confundem, um software jurídico é uma ferramenta que pode apoiá-lo muito. Além de organizar e estabelecer as rotinas de trabalho de uma forma eficiente, com um sistema jurídico, a execução das tarefas rotineiras ficam muito mais simples e rápidas, tornando o dia a dia muito mais produtivo.

3. Desempenho

É claro que tomando todas essas ações se torna fundamental mensurar a produtividade e o desempenho dos envolvidos. Somente dessa forma será possível realizar feedbacks reais e com isso desenvolver e promover os colaboradores de acordo com os perfis e necessidades. Esse acompanhamento e análise também é importante para motivar os profissionais e manter uma equipe de talentos sempre ativa e disposta a oferecer o seu melhor.

Com o uso de um software jurídico é possível gerar vários relatórios que permitem a avaliação de desempenho e consequentemente fazer uma gestão de pessoas mais focada emresultados.

4. Treinamento e Delegação

Tem um provérbio africano que diz: “Se você quer ir rápido, vá sozinho. Se quer ir longe, vá acompanhado”. Que reflexão ele deixa sobre o trabalho em equipe, não é mesmo?

Ele pode gerar resultados excelentes e uma vida muito mais duradoura para um escritório. Entretanto para que esse objetivo seja alcançado, é importante que o líder saiba delegar tarefas e inspirar.

A maior parte dos advogados possuem autonomia, mas muitos, tem dificuldades de trabalhar em equipe, de gerenciar pessoas e sendo assim, a capacitação e o desenvolvimento dos líderes é algo essencial. Só é possível ter um time forte com líderes fortes!

5. Remuneração

A remuneração é um fator importante na gestão de pessoas. Remunere de forma adequada, um bom salário não é necessariamente garantia de motivação, porém remunerações inadequadas ou remunerações distintas para profissionais de mesmo cargo/função, pode sim, ser um fator desmotivador.

Avalie implantar critérios de bonificação relacionados ao desempenho, isso faz o colaborador ser reconhecido e valorizado e assim se tornaram cada vez mais desafiados e motivados a superar expectativas.

Aderir ao processo de gestão de pessoas não é uma tarefa simples, especialmente nos escritórios de advocacia. Afinal, não existe uma receita de bolo para desenvolver e motivar pessoas. Além de executar boas práticas, é fundamental inovar e testar novas ideias que podem gerar muito mais satisfação e resultados.

Sem dúvida alguma o gerenciamento de pessoas feito de uma forma correta, resulta em um desempenho organizacional com grandes benefícios. O escritório de advocacia que implementa a gestão de pessoas saí na frente, com um excelente diferencial competitivo. Uma equipe unida, alinhada e engajada com as metas estabelecidas, não apenas trará excelentes resultados como fortalecerá a imagem da empresa perante seus clientes e o mercado.

Gostou do artigo? Se sim deixe seu like e compartilhe com seus colegas de profissão e amigos! Continue também acompanhando conteúdos interessantes que o auxiliarão na gestão do seu escritório, acessando nosso Site Oficial. Facebook, Instagram e LinkedIn.

Abraços!  

Share this post on:
Redatora Especializada em Gestão Jurídica

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga-nos

Fique por dentro das novidades, lançamentos e muito conteúdo útil para o seu dia a dia.

Siga-nos

Fique por dentro das novidades, lançamentos e muito conteúdo útil para o seu dia a dia.